Palmas, TO, 23/08/2014
 
16/07/2013 - 10h02m

Casa Bauducco faz sucesso, mas empresa não fala em franquias

Agência Hoje 
Divulgação
Casa Bauducco, esmero na decoração e cuidado nos detalhes
Casa Bauducco, esmero na decoração e cuidado nos detalhes

São Paulo (Agência Hoje) - A aceitação por parte dos paulistanos da Casa Bauducco, uma espécie de mercearia de luxo que comercializa os produtos da Bauducco, foi tão grande que várias pessoas têm demonstrado interesse em adquirir franquias para instalação em outras capitais e também em cidades do interior.

A empresa ainda não se manifestou a respeito das franquias, mas demonstra que está muito satisfeita com o movimento alcançado nas duas lojas montadas até agora, uma na alameda Lorena, esquina com a Haddock Lobo, nos Jardins, e a outra no piso térreo do Shopping Eldorado, em Pinheiros. As mercearias sempre cheias demonstram que a ideia deu certo.

As duas Casa Bauducco seguem a mesma trajetória de sucesso das outras unidades da empresa. Hoje, o grupo responde por 40% do mercado, produz 65 milhões de panetones, tem 150 mil pontos de venda e vende para 50 países. Para fazer tudo isso, tem quatro fábricas, 12 filiais e sete centros de distribuição no Brasil. No exterior, mantém duas unidades, uma em Miami, Estados Unidos, e outra em Buenos Aires, Argentina.

História Real

A história da Bauducco é conhecida porque já foi resumida na televisão, em comerciais patrocinados pela marca. Tudo começou em 1948, com a chegada de Carlo Bauducco ao Brasil, trazendo receitas e um pedaço de massa. Em 1952, a família abriu uma doceria no bairro do Brás, reduto de italianos em São Paulo. Pai, mãe e filho cuidavam dos negócios.

"Dona Margherita ficava na administração e Luigi, ajudava o senhor Carlo nas vendas e produção dos panetones. Com o fim da lei que obrigava estrangeiros a terem sócios brasileiros, a família finalmente pode abrir sua própria doceira no bairro do Brás", contam os funcionários mais antigos.

"Com a família a todo o vapor, cuidando com carinho dos negócios e atendendo com toda a simpatia sua freguesia, as vendas não pararam mais de crescer. E a receita Bauducco do bolo com uvas passas e frutas cristalizadas, ganhou espaço de honra na mesa das famílias brasileiras".

Atualmente a Bauducco é a maior indústria de produtos forneados do País e maior produtora de panetones do mundo, através da Pandurata Alimentos, uma espécie de holding do grupo. A capacidade de produção chega a mais de 200 mil toneladas por ano e ela fabrica produtos das marcas Bauducco, Visconti e Tommy.

A Pendurata mantém uma joint venture com a Hershey´s, maior fabricante de chocolates da América do Norte e há alguns anos tornou-se distribuidora da marca Ovomaltine no Brasil. Entre as principais categorias de produtos com forte presença no mercado estão panetones, biscoitos, torradas, bolos, bolinhos e chocolates.

Fama do Toque Pessoal

A Bauducco garante que a receita para fazer os panetones continua igual desde sua chegada ao país: "juntar os melhores ingredientes, deixar a massa crescer com fermentação natural e dedicar 52 horas na produção de cada unidade". Juntamente com a Visconti, empresa concorrente adquirida em 2001, ela bateu o recorde de produção em 2012, alcançando os 65 milhões de panetones fabricados em um ano.

Dona de um dos parques industriais mais avançados da América Latina, contando com 12 linhas de produção de wafer e a maior linha de torradas do mundo, mantém três mil funcionários fixos e 1.600 mil temporários, atuando em quatro fábricas: Itapegica, Endres, Bonsucesso e Extrema.

A fama do toque pessoal na fabricação dos produtos levou os donos ao sucesso atual, 65 anos depois de terem desembarcado no Brasil. Essa mesma dedicação é percebida no esmero com que foi feita a decoração da Casa Bauducco no Shopping Eldorado. Considerando o espírito empreendedor do grupo, é certo que as lojas serão levadas a outras capitais e cidades brasileiras. Também é possível que se tornem franquias em mais um ou dois anos.

Tocantins Hoje

© 2011 - Tocantins Hoje - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro